quarta-feira, 25 de junho de 2014

A história da Taça da Copa do Mundo



A estrela da copa

No início da década de 1970, a Fifa encomendou um novo troféu para a décima edição do Mundial, marcada para 1974. Ele substituiu a Taça Jules Rimet, conquistada em definitivo pelo Brasil após o tricampeonato no México (e roubada da sede da Confederação Brasileira de Futebol em 1983). Artesãos de sete países enviaram 33 projetos. O vencedor foi o italiano Silvio Gazzaniga, que descreveu sua criação assim: "As linhas saltam da base, em espirais, se abrindo para receber o mundo. Da impressionante tensão do corpo da escultura, surge a figura de dois atletas no agitado momento da vitória". Para confeccioná-la, primeiro foi feito um molde de gesso, depois outro, de cera rígida, e só então elaborada a peça final, em ouro maciço com base em malaquita, uma pedra semipreciosa, com espaço para gravação do nome de todos os campeões do Mundial e o respectivo ano da vitória, de 1974 até 2038. Até o momento, constam seis países: Brasil (1994 e 2002), Alemanha (1974 e 1990), Argentina (1978 e 1986), Itália (1982 e 2006), França (1998) e Espanha (2010). O troféu pesa 6,175 quilos e tem 36,8 centímetros. Cada campeão fica com ele por quatro anos e ganha uma réplica folheada a ouro, também com base em malaquita.


Curiosidade

Olhando com as mãos

De acordo com normas da Fifa, somente jogadores e chefes de estado podem tocar a taça. Mas em setembro de 2013, em uma ação comercial da Coca-Cola, a regra foi quebrada. O troféu foi tocado pelos jogadores do time brasileiro de Futebol de Cinco, disputado por atletas cegos.



Fonte: Revista Superinteressante - Edição 332 - Maio/2014
Saiba mais no Site da super


Se for compartilhar use a fonte >> PLÁGIO É CRIME <<



                                       Curtiu?

Nenhum comentário:

Postar um comentário